A era Atômica

Editado em 10 de outubro de 1969 Nº 53

A palavra “Eletrônica”, que hoje designa um ramo vital da ciência e da indústria, era desconhecida em 1910. Aquilo que hoje assombra o mundo, amanhã será corrente.

Inventos, conquistas, maravilhas científicas fazem parte, hoje, da rotina diária. A humanidade despendeu 400 mil anos para aprender a dominar o fogo, outros mil para os fósforos de segurança apenas um século para fazer

explodir a primeira bomba atômica. Chama-se aceleração do processo.

Neste exato momento, em algum laboratório, um cientista está prestes a realizar uma importância descoberta. Em breve, teremos coisas estupendas como a televisão laser, a cura do Câncer, as  viagens interplanetárias. As máquinas de pensar comandarão a atividade nas fábricas e nos escritórios. Você viajará mais depressa do que o som e usará em sua casa engenhos movidos a energia nuclear. Tudo isso acontecerá antes do ano 2000 ou seja, nas próximas três décadas. Quando o homem conquista a lua, uma nova era começa para nós todos. É uma introdução a um mundo novo, fascinantes e miraculoso, feito de coisas grandiosas, onde homem realizará todos os seus sonhos. Viver essa época de maravilhas é uma distinção e uma honra. Compreendê-la é um privilégio.

(transcrito de propaganda da Enciclopédia Tecniram-Ed. Codex)

Sugestão para contato@jornalocorreio.com.br

Um pensamento em “A era Atômica”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *