PEDÁGIO, quem vai ganhar é você

Editado em 11 de janeiro de 1970 edição Nº 73 pagina 02

Era uma vez um grande país de poucas estradas e verbas modestas para a ampliação da rede e conservação da existente.

Um dia, o Governo do país decidiu construir novas vias e levá-lo ao desenvolvimento. Enquanto fazia esforços para conseguir recursos, a rede aumentava.

Cada novo quilometro, entretanto, era mais um pedaço de rodovia para conserva. O País tinha melhores e mais caminhos, mas as necessidades eram ainda maiores. Os recursos para a construção eram conseguidos. Mas os homens do Governo sabiam que sua missão não era apenas construir; precisavam conservar a rede já existente.

Durante muitos anos, nesse país, conservar não era importante, por não trazer reflexos públicos de publicidade e promoção.

Aí, houve uma revolução.

O país mudou de mentalidade e o problema foi enfrentado definitivamente. Os esforços continuariam para ampliar a rede rodoviária, mas a conservação também seria feita e teria recursos próprios. Por isso, foi adotada a “taxa rodoviária” e uma coisa milenarmento conhecida como pedágio foi estudada e será posto em pratica, para segurança e conforto dos usuários.

No Brasil, decidido a vencer as suas barreiras e buscar o definitivo desenvolvimento, o pedágio será  cobrado nas vias onde o Governo possa oferecer o máximo de conforto ao usuario s onde o movimento de transito seja elevado. A Rio-Petropolis e a Rio- São Paulo foram escolhidas para o inicio da operação e um Grupo de Trabalhadores realizou estudos para  que a inovação possa surgir eficiente e sem danos para a velocidade normal do transito.

A medida entrar em vigor em 1970. nesta ocasião o viajante passará a ter a ter novo serviço de paisagismo, melhor conservação e policiamento nas rodovias, por uma  tarifa inferior a cobrada em qualquer outro país do mundo. E outra coisa importante: o dinheiro arrecadado em pedágio numa estrada somente nela será aplicado.

 

Quer dar sugestão e-mail:  contato@jornalocorreio.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *